Racismo, biblioteca escolar, educação das relações étnico-raciais e o campo da biblioteconomia: uma conversa necessária e possível

Eliane Fioravante

Resumo


O artigo apresenta discussões acerca de racismo no contexto social brasileiro, na perspectiva da educação básica e acadêmica, na atuação de professores e de bibliotecários que devem aliar-se às orientações da Educação das Relações Étnico-Raciais. A temática abordada perpassa pela formação básica e superior, e pela educação continuada de professores e bibliotecários para que auxiliem na proposição da educação das relações étnico-raciais. Discute a relevância do tema no campo da educação, da biblioteconomia e ciência da informação. Indica a falta empenho dos gestores públicos e privados para instituir bibliotecas escolares, dinamizá-las, fazê-las atender as demandas do ensino e da aprendizagem, do desejo de ler, e respaldar novas temáticas e o enfrentamento de novos desafios, como a educação ERER. A motivação para escrevê-lo nasce das reflexões da autora, antes, durante e após participação na roda de conversa “Quem tem medo de biblioteca escolar negra?” ocorrida no III Simpósio de Práticas Ético-Políticas em Biblioteconomia, organizado pelo Departamento de Biblioteconomia da Universidade do Estado de Santa Catarina.


Palavras-chave


Racismo – Brasil; Literatura – Racismo; Biblioteca escolar – Racismo; Educação das Relações Étnico-Raciais; Currículo – educação básica – Biblioteconomia – Ciência da Informação.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br