A leitura e o audiovisual como estímulo para liberdade

Adriana Isidório da Silva Zamite

Resumo


Este artigo relata a vivência profissional da autora em ambientes prisionais no Estado do Espírito Santo (ES) e a importância da prática de leitura e o audiovisual como instrumentos de ressocialização para apenados. E também, a contribuição dessas ferramentas para o desenvolvimento social, cognitivo e a ociosidade dos internos. A intenção é discutir a função da biblioteca no ambiente prisional e qual o papel do profissional bibliotecário, neste contexto social. Contudo, observar possíveis potencialidades de projetos sociais e instauração de políticas socioeducacionais e culturais para internos confinados em presídios. Ainda, atentar para as atividades que expandem as possibilidades de educação dos internos e fomentem a reinserção dos egressos ao convívio social. A finalidade não é encobrir os delitos cometidos pelo interno, mas transformar a realidade desse indivíduo perante a sociedade para que o mesmo não venha praticar ações que contribua para o retorno ao encarceramento. A intenção é educar e não depositar.


Palavras-chave


Prática de Leitura. Audiovisual. Biblioteca prisional. Bibliotecário Social.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br