Informação como evidência e saúde mental: hashtag "cut4zayn" e automutilação juvenil

Gabriel Meneguelli Soella, Pedro Ernesto Fagundes

Resumo


O presente estudo foi realizado por meio da recuperação de “informação-como-coisa” enquanto “evidência” em Michael Buckland (1991). Foca-se nas evidências de automutilação juvenil decorrente do “fenômeno informativo” da saída de Zayn Malik do grupo musical One Direction. Fenômeno este, agrupado e recuperado por meio da hashtag “Cut4Zayn”. A metodologia consiste no método indiciário de base psicanalítica aplicado à Ciência da Informação por meio de estratégias de triangulação entre Ciência da Informação, Psicanálise e Sociologia. A análise crítica foi realizada por meio de Aldo Barreto (2008) e Tefko Saracevic (2008) em diálogo interdisciplinar com o fetiche da mercadoria em Karl Marx (1996), a psicanálise de Sigmund Freud (1969) e das autoras: Cecília Orsini (2011); Márcia Rodrigues (2013); e Marta Cardoso (2016). As quais, dissertam acerca da dimensão psicossocial empregada para analisar as evidências do fenômeno.


Palavras-chave


informação-como-coisa; hashtag; saúde mental; consumo; interdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br