Os estudos de usuários para as minorias sociais

Keitty Rodrigues Vieira, Cezar Karpinski

Resumo


O presente artigo busca identificar relações dos estudos de comunidade da Escola de Chicago com o olhar da Ciência da Informação para as minorias sociais sob a perspectiva da biblioteca escolar. A fundamentação teórica aborda aspectos referentes aos estudos de comunidade, estudos de usuários, minorias sociais e biblioteca escolar. Neste estudo, as minorias sociais consideradas foram o público LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), negros e indígenas. Discute-se, a partir de referências teóricas e históricas, como estes temas se relacionam e qual a influência dos estudos de usuário dentro do contexto da biblioteca escolar, ambiente este que deve atender um público heterogêneo que precisa se sentir representado pela unidade de informação. Conclui-se que a Ciência da Informação, enquanto área, ainda não está preparada para lidar com tais questões dentro do ambiente da biblioteca escolar. Por fim, a reflexão da importância desses espaços e do olhar do profissional da informação para com essas minorias sociais apresentadas é a principal contribuição deixada por esta pesquisa.

Palavras-chave


Estudos de usuários. Estudos de comunidade. Minorias sociais. Biblioteca Escolar.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br