O bibliotecário escolar diante dos Nativos Digitais

Adriana Bogliolo Sirihal Duarte, Raquel Miranda Vilela Paiva

Resumo


A biblioteca no contexto escolar possui especificidades a que o profissional deve estar atento. Sua atuação deve ir além do tecnicismo biblioteconômico, utilizando-se de elementos pedagógicos e de acordo com as necessidades dos usuários, sendo os mais representativos os alunos da escola. As crianças e jovens que estão atualmente nas escolas podem ser chamados de nativos digitais e possuem uma relação distinta com a informação. O presente trabalho visa justamente conhecer a percepção e o imaginário de um bibliotecário escolar sobre os nativos digitais, e isso é feito adotando-se a metodologia de associação de palavras. O experimento de associação de palavras é utilizado na psicologia e o trabalho se baseou nas premissas de Carl Jung e na sua forma de aplicação do experimento. A associação de palavras pretende ser um caminho de acesso ao inconsciente do pesquisado. O experimento demonstrou que o universo dos nativos digitais ainda é novo e pouco conhecido do bibliotecário, mas nota-se uma preocupação do profissional em sua atuação com esses jovens e crianças. Conclui-se que é necessário o desenvolvimento de mais estudos e a promoção de debates sobre o tema dos nativos digitais e sua inserção na biblioteca escolar.

Palavras-chave


Biblioteca Escolar; Bibliotecário Escolar; Nativos Digitais; Associação de Palavras

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br