Cidades temporárias: brechas e contra-brechas na cidade

Paulo Nascimento Verano, Lúcia Maciel Barbosa de Oliveira

Resumo


O objetivo deste estudo é, a partir da delimitação de um espaço central de São Paulo compreendido simbólica e rizomaticamente entre o Elevado Presidente João Goulart (“Minhocão”, no Centro) e o Largo da Batata (Pinheiros, Zona Oeste), investigar como se comportam determinadas ações culturais institucionais e não institucionais circunscritas nessa centralidade que promovem a conexão entre a cultura e a produção da cidade, operando numa tensão contínua entre o consenso e o dissenso e na tensão entre as noções de público e de privado na cidade, num movimento que se dá por esforços intencionais — muitas vezes por razões econômicas —, mas também pelo inesperado e pelo encontro fortuito com o simbólico nas brechas e contra-brechas da cidade. Deseja-se, com esta reflexão, contribuir para o pensamento de novos caminhos para a Política Cultural e a Ciência da Informação, em que a promoção do diálogo entre os recursos culturais da cidade e seus atores sociais se dê a partir de conexões móveis e muitas vezes imprevistas, que partem do que é próprio do tenso e do instável, sim, mas em busca do que é comum e que projete outros futuros em que desejo e necessidade não estejam tão apartados.


Palavras-chave


Ciência da Informação; Espaço público; Política cultural; Brechas e contra-brechas; Cultura e cidade.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br