O bibliotecário e a percepção do seu espaço físico e ambiental

Selma Regina Ramalho Conte

Resumo


A complexidade da natureza humana revela as diversas formas de relacionamento do homem com o mundo. A percepção do espaço físico e ambiental influencia os sentidos e altera as funções cognitivas. Esta preocupação está presente também dentro das bibliotecas, onde o bibliotecário tem seu próprio espaço físico e ambiental comumente colocado em segundo plano, esquecendo-se que a satisfação deste reflete-se nos serviços prestados aos usuários. Isto posto, busca-se, com um levantamento na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), identificar, por meio de uma estratégia metacognitiva, pesquisas que abordem essa relação. Verifica-se, ainda, na Arquitetura os detalhamentos sobre espaços necessários para as áreas destinadas ao trabalho em bibliotecas; e, na ergonomia a concepção de ambientes responsivos às atividades desempenhadas,  a partir de uma abordagem fenomenológica que atenta aos modos pelos quais os sentidos são afetados pelo meio. Com isto pretende-se obter argumentos para estruturar uma mudança de conceitos na formulação dos espaços para os bibliotecários tendo como evidência a satisfação destes profissionais.


Palavras-chave


Percepção; Espaço físico e ambiental; Ambiente organizacional; Bibliotecários.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br