Competência Informacional e Midiática: uma revisão dos principais marcos políticos expressos por declarações e documentos

Elisabeth Adriana Dudziak, Sueli Mara Soares Pinto Ferreira, Adriana Cybele Ferrari

Resumo


Com a difusão das tecnologias digitais, encontra-se em curso um fenômeno social e tecnológico generalizado de midiatização que influencia intensamente as instâncias sociais, econômicas, culturais e educacionais. Como resultado da demanda crescente de uma sociedade conectada e saturada pelas mídias e informações instantâneas, o empoderamento das pessoas por meio da alfabetização midiática e informacional (AMI) passou a ser pré-requisito para o acesso equitativo e crítico à informação e ao conhecimento, proporcionando o pleno exercício da democracia e participação cidadã. O objetivo deste artigo é apresentar os principais marcos políticos representados por declarações, manifestos e recomendações definidos por organizações internacionais como a UNESCO e a IFLA, e entidades nacionais como a FEBAB, relacionados à promoção da competência informacional e midiática e, a partir daí, refletir sobre seu potencial de promover mudanças sociais, políticas e educacionais efetivas e virtuosas nas sociedades e governos

Palavras-chave


Competência em Mídia e em Informação. Midiatização. Políticas públicas

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br