Biblioterapia como prática e pesquisa associada ao método cartográfico, um enlace de amantes do acaso: tessituras e confissões de um aprendiz

Lucas Veras de Andrade

Resumo


O texto é um convite, um chamado ao(s) leitor(es) a imergir(em) no universo da biblioterapia por linhas cartográficas. Por esta ótica, tem-se como objetivo: apresentar a biblioterapia enquanto prática e pesquisa associada ao método cartográfico, onde se tem na experiência o saber necessário para a travessia desses contextos. Assim, busca-se no método cartográfico a diretriz para este estudo, desenvolvido na perspectiva de uma escrita inventiva. Com ela, expõe-se uma cachoeira de ideias que costuram-se aos pensamentos de diversos autores (pesquisa bibliográfica), deslocamentos subjetivos que em coautoria a estes, fazem do autor deste trabalho, pensar e atravessar de modo aprendiz o território da biblioterapia. Rabisca-se algumas confissões, tessituras de aprendizagens que configuram-se como pistas guiantes a quem vislumbre desenhar os contornos da prática/pesquisa em biblioterapia - dando destaque para isso, a obra “A menina que roubava livros”, de Markus Suzak. Ao fim, destaca-se que estas são fluídas, não se apresentam como exclusivas ou únicas, pois entende-se que cada território de estudo/intervenção/pesquisa configura-se uma rota própria a ser traçada.


Palavras-chave


Biblioterapia; Pesquisa em Biblioterapia; Prática Empírica em Biblioterapia; Escola;Método Cartográfico.

Texto completo:

PDF




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br