Unidades de informação e sustentabilidade: requisitos para organizações do conhecimento: o caso Embrapa

Rosângela Galon Arruda

Resumo


Reflexão sobre a dinâmica global relacionada ao conhecimento e à sustentabilidade. Essa dinâmica por um lado gera uma gama de possibilidades de realizações, mas por outro lado, gera uma sociedade contraditória com desafios crescentes, em um ambiente complexo e mutável. Nesse ambiente a informação flui cada vez mais rapidamente, e se configura a mudança do paradigma industrial para o tecnológico. O conhecimento do homem é identificado como eixo estruturante do desenvolvimento e sustentabilidade das sociedades e organizações. E como suporte ao desenvolvimento e à inovação, destacam-se as unidades de informação, pois a produção e distribuição de informação, bem como a redução de desigualdades sociais tornaram-se mutuamente imprescindíveis. Deste foco, o trabalho relata a trajetória da Embrapa, uma organização do conhecimento e suas 40 unidades de informação que trabalham de forma sistêmica para o desenvolvimento rural brasileiro.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários






____________________________________________ 

Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo.  ISSN: 1980-6949
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições. Contato: rbbd@febab.org.br