https://rbbd.febab.org.br/rbbd/issue/feed Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação 2023-01-10T08:27:23-03:00 FEBAB rbbd@febab.org.br Open Journal Systems <p>A Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação é o segundo periódico mais antigo ainda em atividade da Biblioteconomia e Ciência da Informação brasileiras, de responsabilidade da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições, desde 1973. Adota o formato de publicação contínua, com um volume anual.</p> https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1884 Mediação da leitura sob a perspectiva da Associação Viva e Deixe Viver 2022-12-19T16:29:14-03:00 Raquel do Rosário Santos quelrosario@gmail.com Pamela Oliveira Assis pamela.oliveiira@outlook.com Taize Santos da Silva taize29@gmail.com Joélita Pereira Oliveira joelis34@yahoo.com.br Acrisonélia Medeiros De Sousa Rocha acrisonelia@gmail.com <p>O objetivo desta pesquisa foi evidenciar a trajetória e as ações de interferência da Associação Viva e Deixe Viver no processo de (trans)formação de leitores e, a partir dessa análise, subsidiar reflexões sobre perspectivas e possibilidades da atuação consciente do(a) bibliotecário(a), como agente mediador da leitura. Quanto à metodologia, esta pesquisa se caracterizou como descritiva, tendo como método o estudo de caso, ao focalizar nas ações realizadas pela Associação Viva e Deixe Viver. Para tanto, a técnica utilizada foi a aplicação do questionário junto ao fundador, Valdir Cimino, da Associação Viva e Deixe Viver. Como resultado, identificou-se que a Associação Viva e Deixe Viver realiza ações de interferência que apoiam a ressignificação da vida de leitores e leitoras e, com base na análise dessas ações, é possível constituir direcionadores que apoiam uma atuação humanizadora e inclusiva por parte do(a) bibliotecário(a), como um(a) mediador(a) de leitura que igualmente pode atuar na perspectiva humanizadora e inclusiva.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1908 Bibliotecas acessíveis: uma realidade da EESC e do IQSC da USP 2022-12-19T16:29:16-03:00 Elenise Maria de Araujo elenisea@sc.usp.br Eduardo Graziosi Silva eduardograziosi@gmail.com Clelia Junko Kinzu Dimário clelia@iqsc.usp.br <p>Relato da experiência e execução do projeto de acessibilidade nas bibliotecas da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) e do Instituto de Química (IQSC) do campus São Carlos, da Universidade de São Paulo, para inclusão do público com deficiência visual, auditiva e/ou de locomoção, promovendo a igualdade de direitos. O projeto recebeu auxílio financeiro da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP, que envolveu os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. As bibliotecas, enquanto espaços democráticos, devem promover a interação e a disseminação do conhecimento, propiciando o acesso aos serviços, produtos informacionais e aos espaços. Propôs-se a adequação das bibliotecas da EESC e do IQSC aos requisitos de acessibilidade que envolvem as dimensões comunicacionais, instrumentais, arquitetônicos e atitudinais, visando diminuir as barreiras e possibilitar que as pessoas com deficiência desenvolvam atividades acadêmicas, profissionais e de lazer. Os procedimentos metodológicos envolveram: realização de um <em>benchmarking </em>das bibliotecas acessíveis em âmbito nacional e internacional; mapeamento das situações arquitetônica, instrumental, comunicacional e atitudinal das bibliotecas EESC e IQSC, utilizando o <em>checklist</em> da FEBAB; consulta aos especialistas das associações de deficientes da cidade; realização de um curso básico de LIBRAS para 3 turmas; produção de um vídeo institucional das bibliotecas com tradução em LIBRAS; aquisição de itens de sinalização para acessibilidade vertical e horizontal e com Braille; aquisição de kits de tecnologias assistivas. Espera-se que as adequações das Bibliotecas sensibilizem os usuários sobre as questões de acessibilidade, fornecendo modelos de inclusão que promovam o compartilhamento do conhecimento gerado na Universidade.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1912 Proposta de um modelo preliminar de letramento estatístico para a Biblioteca Isaac Kerstenetzky, do IBGE 2022-12-19T16:29:17-03:00 Danielle Sampaio Barreiros aprendizdeescalador@gmail.com Lívia Linhares de Brito livia.linhares.to@gmail.com Luciana Lau lucianaflau@gmail.com Gerlaine Braga gerlaine.rocha@gmail.com <p class="western" align="justify"><span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Cambria, serif;"><span><span lang="pt-BR">Apresenta a temática letramento estatístico e a crescente relevância deste tema na atual Sociedade da Informação. Discute a importância do letramento estatístico no desenvolvimento da criticidade dos cidadãos e do consequente amplo exercício da cidadania. Traça ainda uma inter-relação entre o letramento informacional e o letramento estatístico e em dados demonstrando de que maneira tais conceitos estão interligados. Considera a importância das bibliotecas produtoras de informações estatísticas se aprofundarem sobre a temática em questão e incentiva que bibliotecas públicas e escolares, em especial, incluam em seus programas de letramento informacional tópicos relacionados ao letramento estatístico, de forma a empoderar os cidadãos com informações relevantes sobre o Brasil e os brasileiros. A partir da análise dos pedidos de informações recebidos pela Biblioteca Isaac Kerstenetzky do IBGE propõe um modelo preliminar de letramento estatístico inspirado em iniciativas existentes em bibliotecas internacionais, direcionado inicialmente aos usuários da Biblioteca Isaac que possuam o Ensino Médio como escolaridade. Este trabalho possui ainda aderência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas especialmente o ODS 4 “Educação de Qualidade”, ODS 10 “Redução das desigualdades”, e ao ODS 16 “Paz, justiça e instituições eficazes”.</span></span></span></span></span></p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1906 “Não deixar ninguém para trás”: análise temática das edições de 2013 a 2019 do CBBD 2022-12-19T16:29:18-03:00 Emanuelle Geórgia Amaral Ferreira emanuelle.gaf@gmail.com <p>O presente trabalho apresenta uma análise dos temas e eixos temáticos das últimas quatro edições do CBBD (2013-2019), partindo do princípio de que a FEBAB elucida aos bibliotecários a preocupação de atuar tendo como foco o cunho social e humanista da profissão ao se dedicar a discussão de temas que refletem as demandas da sociedade brasileira. Assim, este trabalho teve como objetivo pontuar a importante contribuição da FEBAB enquanto instituição que sempre se preocupou em “não deixar ninguém para trás”, antes mesmo do lançamento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Para atingir tal objetivo, realizou-se uma análise dos temas e eixos de temáticos das edições de 2013 a 2019 do CBBD, utilizando como marco temporal uma escolha anterior em função do desenvolvimento da tese de doutorado da autora deste trabalho: a publicação do <em>Atlas of The New Librarianship</em> (2011) de R. David Lankes, que é a teoria basilar da referida pesquisa de doutorado da autora. Por meio da análise dos temas e dos eixos temáticos das últimas quatro edições do CBBD, afirma-se que a FEBAB já vem ao longo do tempo realizando um importante trabalho de elucidação da comunidade bibliotecária brasileira da importância de atuar em prol das comunidades, em prol de quem necessita, sem deixar ninguém para trás.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1913 A educação antirracista nos cursos de biblioteconomia no Brasil: um panorama da região sudeste 2023-01-10T08:27:23-03:00 Alexandre Faben alexandrefaben@gmail.com Debora Santos de Oliveira oliveira2019@usal.es <p class="Normal1">Aborda a sistematização de disciplinas voltadas para a questão étnico-racial nos cursos presenciais de Biblioteconomia do Brasil, especificamente da região sudeste. Utiliza de pesquisa exploratória com caráter bibliográfico e documental a fim de mapear e analisar as matrizes curriculares e as ementas das disciplinas. Revela que a maior parte dos cursos de Biblioteconomia, da região sudeste, possui disciplina que discute temas relacionados à questão étnico-racial apesar de não está abordada em todos os cursos de forma explícita, seja na nomenclatura da disciplina, conteúdo da ementa, e referencial bibliográfico utilizado. Evidencia os matizes do ensino e chama atenção o fomento da educação antirracista em consonância aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1900 A atuação do bibliotecário em startups: um panorama sobre as competências 2022-12-19T16:29:22-03:00 Daniela Luciana da Silva danielaluciana.1993@gmail.com Valeria Martin Valls valls@fespsp.org.br <p>Considerando a necessidade de identificar possibilidades de atuação além das áreas tradicionais e o reconhecimento das competências desenvolvidas pelo bibliotecário durante a sua formação e o que é exigido pelo mercado de trabalho, com foco em áreas não tradicionais objetiva-se verificar se as competências do bibliotecário podem ser utilizadas em <em>startups</em> e analisar caminhos para ocupá-las através da conceituação do que é uma <em>startup</em> e apresentação de um panorama para descrever esse tipo de negócio; identificação das competências do bibliotecário aplicáveis a atuação em <em>startup</em>; e descrição das trajetórias de carreira de bibliotecários atuantes em <em>startups</em>. Para tanto, procede-se a uma pesquisa de natureza básica com caráter exploratório. Desse modo, observa-se que o bibliotecário está apto a atuar em ambientes tais quais as <em>startups</em> desde que entenda que é necessário ir além da formação técnica, o que permite concluir que o bibliotecário deve aprender também a se apresentar, demonstrando o que é capaz de fazer para que, cada vez mais, seja notado e lembrado por suas competências e quebrando o estereótipo que assombra a profissão.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1887 Práticas científicas da Rede de Pesquisa e (In)Formação em Museologia, Memória e Patrimônio (REDMus): existencialidade e repercussões 2022-12-21T12:49:09-03:00 Luciana Ferreira da Costa lucianna.costa@yahoo.com.br <p>Apresenta, como relato de experiência, o <em>frame</em> da criação e das práticas científicas da Rede de Pesquisa e (In)Formação em Museologia, Memória e Patrimônio (REDMus) enquanto grupo de pesquisa cadastrado na Universidade Federal da Paraíba com certificação junto ao Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O relato tem característica bibliográfica e descritiva, sendo ancorada em abordagem qualitativa-narrativa, com aporte de dados quantitativos. A criação da REDMus vem minimizar a escassez de grupos de pesquisa atuando, sobretudo, na área da Museologia e no campo dos museus no contexto da Universidade Federal da Paraíba. Conclui que as atividades da REDMus, que perpassam por estudos, pesquisas, publicações científicas, formação, eventos acadêmico-científicos nacional e internacional e sua presença digital se configuram em práticas científicas que visam fortalecer a área da Museologia e o campo dos museus na Paraíba, visto que o Estado ainda prescinde de formação graduada na área da Museologia, suprindo, portanto, demanda por informação, conhecimento e formação.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1917 A produção científica brasileira sobre competência em informação: um estudo dos artigos indexados na BRAPCI (2000-2019) 2022-12-19T16:29:25-03:00 Djuli Machado De Lucca djuli.mdl@gmail.com Cassiane Macedo Leite cassiane.leite@hotmail.com Patrícia da Silva Neubert patyneubert@hotmail.com <p>No Brasil, a competência em informação é objeto de estudos desde o ano 2000. No entanto, os estudos de mapeamento da produção científica ainda são escassos. Esse artigo analisa a produção científica brasileira sobre competência em informação indexada na BRAPCI entre os anos de 2000 e 2019, de modo a identificar os padrões da produção científica na temática, analisa a produtividade dos periódicos sobre o tema e os padrões de autoria das publicações. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica com abordagem quantitativa-qualitativa, que busca construir indicadores para a mensuração da atividade científica na temática. Foram identificados 530 documentos, publicados em periódicos científicos (461) e anais de eventos (69), desde 2002, apresentando aumento expressivo após 2008. Dentre os resultados publicados em periódicos científicos, destacam-se aqueles editados por universidades (69,77%), sendo o mais produtivo, a Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação (55). A co-autoria é pratica frequente na produção da temática, mas produtividade dos autores ainda é baixa, a maioria publicou entre 1 e 2 artigos. Entre os autores mais produtivos, Elizete Vieira Vitorino (34) lidera o ranking, mas destacam-se os pesquisadores vinculados as universidades públicas, das quais a UNESP possui maior número de menções. Os dados apontam a relevância dos eventos e dos periódicos editados por associações e universidades para a publicação das pesquisas sobre CoInfo no Brasil.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1909 O fenômeno bookstan e as redes sociais: análise de estratégias utilizadas para atrair seguidores 2022-12-19T16:29:26-03:00 Jessica Cristina Junior da Silva jessicacj95@gmail.com Jaqueline Santos Barradas jaqueline.barradas@unirio.br <p>Analisa redes sociais de <em>bookstans</em>, os superfãs de livros, a fim de compreender estratégias utilizadas para atrair e influenciar seguidores. Caracteriza-se como uma pesquisa exploratória e descritiva, em que foi adotada uma abordagem quali-quantitativa, a qual permitiu interpretar os dados para além dos números coletados na observação. Quanto aos procedimentos de coleta de dados, classifica-se como bibliográfica e documental, realizado a partir de pesquisa nas redes sociais de cinco perfis de influenciadores do universo literário em diferentes plataformas: YouTube, Instagram, Tik Tok, Twitter e Twich. Para definir os parâmetros para escolha dos perfis de <em>bookstan</em> analisados foi realizado uma observação direta da comunidade, que permitiu identificar padrões nas contas que incentivam o engajamento em suas redes. Foi possível identificar que a experiência da audiência é uma nova forma de atrair e fidelizar seguidores nas redes sociais dos perfis analisados e, a partir disso, definir estratégias de forma a impactar a oferta de produtos e serviços das bibliotecas, além de abrir um novo canal de diálogo com os usuários. Verificou-se que os influenciadores possuem competências e atuam em papéis mais ativos na comunicação, produção e inovação de conteúdo; apoiados pela formação e desenvolvimento coletivo, razão pela qual tornam-se um curioso objeto de estudo para os profissionais bibliotecários que buscam inovar as estratégias de atração de usuários para as bibliotecas nas redes sociais.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1915 Florianópolis/SC como cidade do conhecimento: critérios e indicadores 2022-12-19T16:29:27-03:00 Aline Ferreira ealinef.26@gmail.com Ana Maria Pereira ana.pereira@udesc.br <p>A presente pesquisa tem o intuito de estudar os conceitos, critérios e indicadores de Cidades do Conhecimento com vistas à cidade de Florianópolis/SC. Como objetivo geral, elenca critérios e indicadores para que Florianópolis/SC se torne uma cidade ideal e reconhecida internacionalmente como uma cidade do conhecimento. Os critérios e indicadores para Florianópolis/SC foram desenvolvidos a partir do <em>Word Capital Institute, </em>uma organização que identifica, incentiva e mapeia as Cidades do Conhecimento a partir do Prêmio Anual MARKCi concorrido entre todas as cidades inscritas neste Instituto. Como objetivos específicos, buscou verificar se Florianópolis/SC atende aos padrões internacionais para se tornar uma Cidade do Conhecimento e o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação como suporte para este desenvolvimento. Quanto aos procedimentos metodológicos, caracteriza-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa, bibliográfica e exploratória. A coleta e análise dos dados descrevem as categorias, os critérios e os indicadores necessários para uma Cidade do Conhecimento, e apresentam uma comparação entre Melbourne e Florianópolis/SC. Como resultado desta pesquisa, com base na análise dos documentos da Prefeitura Municipal de Florianópolis, no Plano de Governo e no Plano Diretor Municipal, apresentam-se os critérios e indicadores elencados. Com os resultados, concluiu-se que a atuação do bibliotecário nas Cidades do Conhecimento é essencial para atingir o objetivo de proporcionar aos interagentes<a title="" href="file:///C:/Users/User/Downloads/Artigo%20CBBD%20Aline%20%20-%20Florian%C3%B3polisSC%20como%20cidade%20do%20conhecimento%20crit%C3%A9rios%20e%20indicadores.docx#_ftn1"><sup><sup>[1]</sup></sup></a> e cidadãos em geral o acesso à informação de acordo com as competências destes profissionais.</p><div><br clear="all" /><hr align="left" size="1" width="33%" /><div><p><a title="" href="file:///C:/Users/User/Downloads/Artigo%20CBBD%20Aline%20%20-%20Florian%C3%B3polisSC%20como%20cidade%20do%20conhecimento%20crit%C3%A9rios%20e%20indicadores.docx#_ftnref1"><sup><sup>[1]</sup></sup></a> Propõe-se o uso do termo Interagente, pois parece ser este mais adequado para definir o cidadão contemporâneo que busca informação de maneira autônoma, inclusive nas bibliotecas (CORRÊA, 2014).</p><p> </p></div></div> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1907 Futuro do trabalho para o bibliotecário frente aos desafios da economia digital 2022-12-19T16:29:29-03:00 Angélica Cintra Fermann angelicafermann@usp.br Francisco Carlos Paletta fcpaletta@usp.br <p>Este artigo apresenta reflexões, a partir de pesquisa em andamento no âmbito do Mestrado, que busca compreender a existência de GAP entre o mercado de trabalho no futuro do trabalho e a profissão do bibliotecário, considerando suas competências técnicas, funcionais e sociocomportamentais, a fim de fornecer reflexões com o olhar para a empregabilidade diante da rápida transformação que o digital provoca no mundo do trabalho. O propósito deste estudo é propiciar à pesquisadora uma maior familiaridade com o problema apontado e obter novos constructos diante dos desafios impostos pelo mercado de trabalho ao profissional bibliotecário, cujas habilidades hoje não são mais exclusivas de sua formação e área de atuação, visto que o profissional da informação pode ser incorporado por outras tantas profissões. A Pesquisa de natureza exploratória e de caráter qualitativo e fará uso da prática metodológica o método Quadripolar. Por estar-se estudando um cenário futuro, o da profissão do bibliotecário, está sendo aplicada a técnica Delphi, nos pilares formação e empregabilidade, sendo este último sob dois eixos: os recrutadores das vagas, entendidos por empresas ou profissionais que se dizem especializados e empresas, donas da vaga, que estão fazendo a transformação digital ou já nasceram digital. O estudo inicialmente aborda o conceito de trabalho, suas dimensões e os tipos de carreiras, passando pela economia digital e a ciência da informação, onde o objeto informação dialoga preferencialmente com as tecnologias digitais, finalizando com um panorama do futuro do trabalho, que vem amplamente sendo debatido por organizações em todo o mundo.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1910 O capitalismo de vigilância e a economia da atenção nas bibliotecas: reflexões sobre a privacidade dos usuários em mundo plataformizado 2022-12-19T16:29:31-03:00 Lorena Tavares de Paula lorena.ltp@gmail.com <p>Quais padrões de privacidade e segurança devem ser considerados nos serviços e produtos das Bibliotecas em um cenário plataformizado? No presente artigo, objetiva-se responder a indagação posta com ideias, críticas, impressões acerca do tema Capitalismo de Vigilância e as Bibliotecas diante de um mundo plataformizado. Para tanto, apresenta-se metodologicamente um estudo explicativo materializado como ensaio acadêmico. Para o desenvolvimento argumentativo, a priori se esclarece alguns conceitos como: Capitalismo de Vigilância, a Plataformização e a Economia da Atenção. A posteriori, se demarca a apresentação do “<em>Library Bill of Rights</em>” da ALA e o “<em>Code of Ethics for Librarians and other Information Workers</em>” da IFLA e a agenda 2030 da Organização da Nações Unidas (ONU). Em sequência problematiza-se a atuação dos Bibliotecários e seus compromissos com o acesso à informação com segurança e privacidade. Por fim, como resultados e discussões são estabelecidas percepções quanto as implicações da plataformização e a economia da atenção nas Bibliotecas e na prática profissional do Bibliotecário</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1889 Bibliotecas e ecossistema on-line do conhecimento livre : uma experiência com projetos Wikimedia 2022-12-19T16:29:31-03:00 Lilian Viana lilianviana@usp.br Marina Macambyra maca@usp.br Com o objetivo de contribuir para o debate sobre ações de bibliotecas em projetos representativos do ecossistema on-line do conhecimento livre, a Biblioteca da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo criou um artigo enciclopédico na Wikipédia em português, ao qual foram integrados conteúdos inseridos no repositório de mídias digitais Wikimedia Commons e na base de dados abertos, estruturados e interligados Wikidata. Metodologia: Estudo de caso, de natureza exploratória. Resultados: A edição de um artigo enciclopédico na Wikipédia revelou-se uma alternativa para a biblioteca contribuir com a constituição da memória de distintos campos do conhecimento e para sua comunicação em amplo alcance. A inserção e catalogação de imagens nos projetos Wikimedia evidenciou novas possibilidades no tratamento e divulgação de pequenas coleções de imagens. Conclusões: A ação demonstrou que os projetos Wikimedia configuram caminho de possibilidades para atuação de bibliotecas no contexto digital, possibilitando a comunicação em ampla escala e de forma livre do conhecimento científico-acadêmico. Além disso, sinalizou para a relevância de que, no contexto digital, as ações desenvolvidas por bibliotecas ocorram em diálogo com projetos pautados no mesmo princípio democrático que as anima, de garantia do direito de acesso ao patrimônio cultural e científico pelos sujeitos. 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1901 Biblioteca pública no Brasil: lugar habitado? 2022-12-19T16:29:32-03:00 Daniele Achilles daniele.achilles@unirio.br Renata Oliveira da Silva renataoliveirasilva@gmail.com <p>Esta comunicação aborda a situação da biblioteca pública no Brasil, descortinando a relação entre conceito, função e uso. Questiona a partir da proposição de uma reflexão se essa instituição é habitada/apropriada por parte dos sujeitos. Para dar conta de abrir espaço para discussão retoma a perspectiva da biblioteca pública como lugar antropológico ou não-lugar exposto por Silva, Achilles e Sabbag (2022). Atrela a biblioteca pública como um espaço que deve proporcionar, essencialmente, a convivência e o desenvolvimento do indivíduo. A pesquisa se define como social, exploratória, qualitativa porque suscita possibilidades para a ampliação do entendimento acerca da construção da relação entre biblioteca pública e comunidade. Enfatiza o conceito e as perspectivas atreladas às funções dessas instituições. Problematiza brevemente os conceitos com vistas na apropriação espaço-temporal, considerando a construção social identitária, tanto dos sujeitos, quanto das instituições. Conclui que a concepção da biblioteca pública como lugar habitado remete a construção de uma instituição que se projeta dentro do campo de percepção da população, transformando-se em espaço apropriado que integra a dimensão imaginária, afetiva e simbólica dos sujeitos. Inserindo-se, deste modo, no campo de escolhas deste sujeito e colocando-se na direção oposta ao esvaziamento identitário próprio de espaços desprovidos de sentido.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1916 O Design Thinking nas bibliotecas públicas com foco no público nerd e fãs de cultura pop da cidade de São Paulo 2022-12-19T16:29:33-03:00 Clélia Carolina Coutinho Lemonge liablackmax@gmail.com Adriana Maria de Souza adrianasouza809@gmail.com Apresenta a abordagem inovativa do Design Thinking numa proposta de melhoria na comunicação e na elaboração de eventos voltados à comunidade nerd e fãs de cultura pop da cidade de São Paulo, no âmbito das bibliotecas públicas, com a delimitação etária de pessoas que estejam entre 25 e 35 anos. A temática em questão, as bibliotecas escolhidas para a análise e o público-alvo foram pesquisadas, a partir de levantamento bibliográfico partindo de metodologia qualitativa e quantitativa com aplicação de questionário. As bibliotecas públicas tiveram como critério de seleção seus espaços ou históricos de realização de eventos com temáticas que fogem ao convencional, visando conhecer o desenvolvimento de atividades nesses equipamentos culturais, que fossem atraentes e convidativos no que tange às necessidades e interesses do público pesquisado, baseados nas suas dores e ideias de melhorias compiladas, nos quais muitos relatos referiam-se a falta de comunicação e temática deficitária. 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1911 O uso de nomes artísticos na atribuição de autoria nas Artes 2022-12-19T16:29:34-03:00 Catherine da Silva Cunha catherinecunha@gmail.com Samile Andréa de Souza Vanz samilevanz@terra.com.br <span>Aborda a atribuição de autoria em publicações acadêmicas e científicas na área de Artes. Objetiva discutir as implicações do uso do nome artístico, e analisar a pertinência dos identificadores persistentes de autoria, <span>do perfil no Google</span> Acadêmico, perfil em redes sociais acadêmicas e Currículo Lattes para desambiguação de nomes. Demonstra o caso dos nomes artísticos utilizados por seis docentes do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em uma busca no Google Acadêmico pelas formas variantes dos nomes registrados no Currículo Lattes, ORCID, <em>Researcher ID</em> e <em>Scopus ID</em>. Os resultados mostram grande divergência entre nome civil e nome artístico atribuídos ao mesmo autor. Conclui que o perfil no Google Acadêmico pode dirimir a dispersão das publicações sob formas variantes do nome, bem como o cômputo das citações, e que o registro no ORCID se apresenta como alternativa às limitações do Currículo Lattes para recuperação pelo nome artístico.</span> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1888 Competências Infocomunicacionais dos Bibliotecários da Diretoria Integrada de Bibliotecas da Universidade Federal do Maranhão 2022-12-19T16:29:35-03:00 Silvana Maria de Jesus Vetter silvana.vetter@ufma.br Claudia Maria Pinho de Abreu Pecegueiro clpecegueiro@gmail.com Larissa Silva Cordeiro larissacordeiro31.lc@gmail.com <p>O estudo aborda as Tecnologias de Informação e Comunicação como recurso mediador e estruturante, para a geração e disseminação de conhecimentos. Evidencia a avaliação das competências infocomunicacionais dos sujeitos, para compreenderem a sua atuação efetiva enquanto produtores e usuários da informação e do conhecimento. Quanto ao objetivo, a pesquisa busca analisar as competências infocomunicacionais dos Bibliotecários da Diretoria Integrada de Bibliotecas da Universidade Federal do Maranhão, na divulgação da sua produção científica. O estudo configura-se como descritivo com abordagens quantitativa e qualitativa. Expõe como resultados: no que se refere ao perfil dos bibliotecários, que a maioria pertence à geração X e os bibliotecários pós-graduados mantiveram seus estudos nas áreas das Ciências Humanas e Sociais; em relação ao uso das redes sociais, para além da atualização, os pesquisados as utilizam no compartilhamento de conteúdo das suas produções; sobre o autoarquivamento no repositório institucional da Universidade Federal do Maranhão, percebeu-se que esta não parece ser uma prática entre os pesquisados. Conclui que a Ciência da Informação e a Biblioteconomia são convidativas aos profissionais de outras áreas, porém, esse movimento não se dá pelos bibliotecários pesquisados. Acerca do autoarquivamento, entende-se que é um processo desafiador, por isso requer uma política institucional mais robusta.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1914 Formato MARC 21 para dados de autoridade: considerações no processo da tradução 2022-12-19T16:29:37-03:00 Denise Mancera Salgado denise.salgado@tcm.sp.gov.br Ana Rafaela Sales de Araújo rafaela@ufc.br Felipe Arakaki felipe.arakaki@unb.br Marcelo Votto Texeira marcelo.t@unochapeco.edu.br Fabrício Silva Assumpção fabricio.assumpcao@ufsc.br Luciana Cândida da Silva luciana_candida@ufg.br Raildo de Sousa Machado raildo@unifap.br Oscar Eliel oeliel@unicamp.br <p>Na catalogação contemporânea, o controle de autoridade pode ser compreendido como um processo de unificar os pontos de acesso dos catálogos, e, no contexto tecnológico atual, a aplicação desse processo em padrões de metadados legíveis pelas máquinas se tornou um recurso primordial para a recuperação da informação no domínio bibliográfico. Dessa forma, o presente artigo se constitui em um relato de caso de forma qualitativa e descritiva, a partir das percepções da tradução do inglês para o português do MARC 21 <em>format for authority data</em>, da Library of Congress. O objeto de estudo emerge das reflexões sobre a importância do controle de autoridade e do formato MARC 21 para o desenvolvimento do catálogo de autoridades. Em seguida, discute-se os procedimentos e métodos utilizados na tradução, bem como as impressões dos tradutores acerca desse processo. Destaca-se entre os resultados obtidos nas percepções do processo de tradução – dos campos 00X a 8XX, incluindo sumário, introdução, líder, diretório e apêndices –, a importância do uso das páginas introdutórias para a compreensão e a aplicação dos campos do formato, junto com a padronização dos termos traduzidos. Conclui-se que a tradução é um trabalho contínuo e requer um compromisso de longo prazo, considerando as atualizações periódicas realizadas no formato MARC 21.</p> 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1918 Editorial 2022-12-19T16:29:13-03:00 Adriana Maria de Souza adrianasouza809@gmail.com Jorge Moisés Kroll do Prado jorge.exlibris@gmail.com Editorial do número especial do volume 18, "Melhores trabalhos do CBBD 2022". 2022-12-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação